Grupo Zelo Home

6 Hábitos que devemos copiar dos nossos avós

Nos dias atuais existem diversas receitas para manter o corpo e a mente saudável.

Por

Nos dias atuais existem diversas receitas para manter o corpo e a mente saudável. Alimentação equilibrada, prática de atividade física, uma boa noite de sono. A verdade é que nem sempre é possível seguir à risca as recomendações para levar uma vida plena e com saúde.

 

Na época de nossos avós, não existia esse bombardeio de informações para ser saudável e, mesmo assim, era possível levar a vida com mais saúde.

Somente nos últimos 10 anos no Brasil, a taxa de obesidade cresceu 60%, segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados no início deste ano.

Atualmente cerca de 20% dos brasileiros precisam lidar com a obesidade e todas as consequências que o excesso de peso pode acarretar.

A obesidade é um fator que pode ter contribuído para o aumento de diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas não transmissíveis.

 

Diante de dados preocupantes, o especialista em emagrecimento Rodrigo Polesso, fundador do Código Emagrecer de Vez com formação em Nutrição Otimizada para Saúde e Bem-Estar pela Universidade Estadual de San Diego, pontuou alguns hábitos saudáveis que deveríamos resgatar do passado e que muito provavelmente eram seguidos pelos nossos avós.

 

1- Mais comida, menos substâncias comestíveis

Hoje, a humanidade vive uma epidemia de síndrome metabólica causada pelo consumo de substâncias comestíveis processados e modificados.

 

2- Mais gordura natural e menos óleo vegetal

Uma mudança no hábito alimentar é a troca do consumo de gorduras naturais por gorduras artificiais, como óleos vegetais e margarinas.

Muito por causa da falsa crença de que a gordura animal estava colaborando para o aumento dos problemas cardíacos. No entanto, muitos disseminam a ideia de que óleos pró-inflamatórios são mais saudáveis

 

3- Menos conservante e mais probióticos

De acordo com o especialista, os intestinos modernos são menos saudáveis e possuem menor diversidade de bactérias do que intestinos de populações mais antigas.

 

4- Mais nutrientes, menos química

Antigamente, alimentos orgânicos eram norma e não exceção



5 – Mais movimentação, menos sedentarismo


Nossos avós tendiam a se movimentar mais no dia a dia, mesmo não praticando nenhum tipo de atividade física formal. De acordo com o especialista, o simples fato de andarmos mais, subirmos escadas, irmos de bicicleta até a casa dos amigos pode gerar efeitos positivos a longo prazo.

“Com o aumento do conforto e comodidade da sociedade moderna, as pessoas perderam isso e tendem a fazer a menos esforço”, afirma. Segundo ele, ao invés de se inscrever em uma academia, ambiente que muitos não gostam, a movimentação natural pode ser benéfica ao organismo.

6 – Maior interação, menos estresse


Com o advento da tecnologia e da fácil e instantânea comunicação, as pessoas estão perdendo a conexão humana que sempre foi parte do dia a dia antigamente. É comprovado que interações sociais são necessárias e positivas para se manter uma boa saúde física e mental. Afinal, o ser humano é um ser social.

“Nossos avós interagiam mais, reuniões na casa dos vizinhos mantinham todos animados e eram práticas comuns, por exemplo. Apesar do maior conforto e comodidade do mundo de hoje, nunca o ser humano esteve tão estressado, com tantas pressões diferentes e tão pouca interação humana”, explica.